Barata.Me

FILOSOFIA DE PÉS SUJOS

Pense.me – Filosofia de Pés Sujos – 035

E quero quebrar meu silêncio em pedaços tão pequenos que não se possa juntar.
De fato quero fazer tanto barulho, um ruído tão grande que não se possa escutar.
 Barata Cichetto .  

livros

POESIA

Poesia – Versos Orgânicos – 26 – Grande Buceta Mijona

Barata Cichetto . Assusta-te o tamanho imenso da minha cabeleira?
Ou é apenas e somente um fetiche de cabeleireira?
Então saibas que ...
Leia Mais >

Poesia – Versos Orgânicos – 25 – Foder Antes de Morrer

Barata Cichetto . Sou ateu e não acredito nas deusas e santas tardias
E coloco em seu lugar as vagabundas e ...
Leia Mais >

Poesia – Versos Orgânicos – 24 – Ditadora da Foda

Barata Cichetto . Não, eu não posso em minha ode lhe chamar por puta
Porque ela não gosta da foda, mas ...
Leia Mais >

Poesia – O Dom do Salvador

Barata Cichetto . Eu tenho a prova certeira e cósmica da inexistência dos deuses
Pois não chegam horas antes de dias, ...
Leia Mais >

Poesia – Traição e Vingança

Barata Cichetto . Um dia decerto irás trair e não será apenas por puro desejo
Mas por vaidade, por insegurança ou ...
Leia Mais >

Poesia – Herdeiros

Barata Cichetto . Quantos poemas ainda serão escritos até que a morte esteja consumada
E quantas mortes ainda serão necessárias até ...
Leia Mais >

Poesia – A Morte da Puta

Barata Cichetto . Ontem morreu uma puta, na rua, como sempre estava
Mas foi estranha a sua morte, que ninguém acreditava
Não ...
Leia Mais >

Poesia – Carta Aos Poetas Modernos

Barata Cichetto . 1 -
Poemas são apenas um enorme tormento ao poeta
Ser que não é um artista e sequer ...
Leia Mais >

Poesia – Decomposição

Barata Cichetto . Pagar pelos crimes e comprar um corpo em decomposição
Entre a falha de caráter e o cateter, todos ...
Leia Mais >

Poesia – Versos Orgânicos – 23 – Foder o Mundo

Barata Cichetto . Cada parte da ode é uma trepada, cada qual um gozo
E enquanto escrevo, penso o quanto te ...
Leia Mais >

PROSA

Conto – A Incrível Barata Que Encolheu

Barata Cichetto .  — Acorda, K! Acorda, sua barata inútil! Ou pensas que vais passar o resto da sua vida com as patinhas para cima enquanto as contas se acumulam? Levante-se agora!!!K ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 22

Barata Cichetto .  Há alguns anos venho brigando com minha ansiedade, angústia e, principalmente depressão, acompanhada de seus "efeitos colaterais", como desejo de suicídio. Venho me empenhando em sair dessa situação, sem ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 21

Barata Cichetto .  Sobre epidemias e manipulações: ano passado, com a epidemia de Dengue, Araraquara, cidade onde moro e tem uma população de cerca de 240.000 habitantes, teve 27.000 casos da doença ...
Leia Mais >

Crônica – Há Um Muro Entre as Calçadas

Barata Cichetto .  Em um futuro não muito distante - aliás, creio que bem próximo, "esquerdistas" (se preferirem "progressistas") andarão em um lado da calçada, e  "direitistas", (os tais "conservadores") pelo outro ...
Leia Mais >

Crônica – Sobre Comunismo e Outras Doenças

Barata Cichetto .  Fui acusado muitas vezes de não gostar de comunistas, o que efetivamente não corresponde à verdade. Não gosto, aliás, não suporto, odeio, desconjuro, etc. é o tal do comunismo, ...
Leia Mais >

Crônica – Achismos e os Outros Ismos dos Traidores da Língua

Barata Cichetto .  Outro dia me perguntaram: "O que acha do Comunismo?" - Eu não "acho"... E também, como é a forma de se expressar de políticos, não "sinto que". Também, com ...
Leia Mais >

Crônica – Bozo, Um Outsider na Presidência

Barata Cichetto .  Dias atrás, numa conversa com um amigo, "conservador", e que tem idéias próximas às minhas comentei o seguinte (aspas a mim mesmo): "Bolsonaro é um 'outsider', e por isso ...
Leia Mais >

Crônica – Blaterações de Um Ex-Poeta

Barata Cichetto .  Eu queria escrever um poema, algo que pudesse não ser tão carregado de ódio e impotência contra os tiranos que carregam ao fim. Há um ano não faço poesia, ...
Leia Mais >

Crônica – Todos Felizes

Barata Cichetto .  - Garçom, há um poeta no meu copo!- Como assim, senhor? Nossos copos são esterilizados.- Sim, há um poeta boiando na minha cerveja. Já deve estar bem bêbado a ...
Leia Mais >

Crônica – Não Escrevo Mais Poesia: Tenho Vergonha

Barata Cichetto .  O meu primeiro livro, lançado em 1981, portanto há quarenta anos, foi todo feito em mimeógrafo a álcool, único recurso à mão para escritores independentes na época. Guardei dinheiro ...
Leia Mais >

ENTREVISTAS E RESENHAS

Resenha – Satânia e o Escritor Fantasma

Genecy Souza . Olavo Villa Couto sabe contar histórias como poucos.Recém saído de uma leitura de um outro livro seu – ...
Leia Mais >

Resenha – Um Jorro de Lascivos Prazeres Secretos

Genecy Souza . Eu não conheço Olavo Villa Couto, nunca o vi mais magro. Na verdade, desconfio que são poucos os ...
Leia Mais >

Resenha – Sexo, Poesia, Internet e Rock and Roll: Um Site Com História

Genecy Souza . Não sei se existe ao menos algum site com biografia publicada em livro – de papel, não e-book, ...
Leia Mais >

Entrevista ao Site Club Rock, 2008

Alexandre Quadros .  01 - Enviada por: Júlio Mouzadi - revista rock´n´bauru (Assinante Club Rock - Baurú-SP)- Qual a sua trajetória ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 26 ― Pandemia-Pandemônio

Barata Cichetto .  Há pouco menos de um ano, logo depois de completar 61 de existência, e de estar passando por uma depressão, entre outras coisas por descaso familiar e mudança de cidade, decidi que precisaria me cuidar melhor, e tentar sair dessa situação. Para tanto, comecei a me alimentar melhor, reduzi o consumo de cigarros e ...
Leia Mais >

Depoimento – Genecy Souza

Não se sabe quantos sites — ao menos no Brasil — possuem uma “biografia”. Talvez este livro possa estar em alguma lista a ser divulgada no futuro. Veremos e leremos. Por outro lado, o site abarata.com.br se confunde com a vida do autor, justamente por serem figuras indissociáveis, e, dessa forma, desde 1999, esses personagens muito reais atravessaram mais de duas décadas aos trancos e barrancos, subidas e descidas, idas e vindas, perdas e ganhos, pausas e continuações, mutações, variações, desvios e reencontros de rota, mas, sempre andando para a frente. Narrada com incrível riqueza de detalhes, a saga de Barata Cichetto não apenas conta, mas insere o leitor em narrativas que misturam comicidade com dramas pessoais. Contudo, após cada queda, o autor deixa claro que nunca se rende às adversidades, nestes tempos de ideias e ideais que se chocam e se anulam, que a liberdade de expressão, na internet ou fora dela, é algo valioso demais para ser deixado de lado.
Não se sabe quantos sites — ao menos no Brasil — possuem uma “biografia”. Talvez este livro possa estar em alguma lista a ser divulgada no futuro. Veremos e leremos. Por outro lado, o site abarata.com.br se confunde com a vida do autor, justamente por serem figuras indissociáveis, e, dessa forma, desde 1999, esses personagens muito reais atravessaram mais de duas décadas aos trancos e barrancos, subidas e descidas, idas e vindas, perdas e ganhos, pausas e continuações, mutações, variações, desvios e reencontros de rota, mas, sempre andando para a frente. Narrada com incrível riqueza de detalhes, a saga de Barata Cichetto não apenas conta, mas insere o leitor em narrativas que misturam comicidade com dramas pessoais. Contudo, após cada queda, o autor deixa claro que nunca se rende às adversidades, nestes tempos de ideias e ideais que se chocam e se anulam, que a liberdade de expressão, na internet ou fora dela, é algo valioso demais para ser deixado de lado.

(Sobre o livro “Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade”)

Genecy Souza, o maior incentivador de Barata, Leitor Manaus – AM

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
10 Comentários
Mais Antigos
Mais Novos Mais Votador
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários
Bel
Bel
5 Meses Atrás

Luís Carlos Barata Cichetto, homem na qual tive a sorte de conhecer e a 11 anos e estamos caminhando a passos pequenos mas sempre para frente. Homem de um intelecto é caráter na qual eu nunca havia conhecido, nos entregamos de corpo e alma ,falar de você é difícil, pois sua genealidade está sempre surpreendendo e infelizmente muitas vezes mal compreendido, mas o que seria dos gênios se o seu legado fosse simplesmente uma palavra uma frase…enfim você é um homem de mil palavras infinitas frases, você é um poeta e os poetas nem sempre são compreendidos.
Te amo…..
Te quero…
Te desejo……
Sempre
Poeta.

Barata.me
Barata.me
5 Meses Atrás
Responder Para:  Bel

Fico muito honrado em partilhar não apenas minha vida, como homem, com uma mulher tão especial, não sei se por sorte, por destino, ou mero acaso, mas de algo estou certo, embora meu ateísmo, que nada acontece por acaso. Sendo assim, todos os passos que demos antes foram para chegássemos, como em convergências, a trilhar a mesma estrada, buscando os mesmos horizontes. Ademais, nossa jornada não tem sido a passos pequenos, ao contrário, muito largos e firmes, que não sei aonde chegaremos, mas espero que juntos. Obrigado por partilhar comigo de mais um projeto.

Jorgito Rock
5 Meses Atrás

Parabéns por seu trabalho, querido! Você é um guerreiro que vem há décadas alimentando a cultura e defendendo a liberdade de expressão em nosso país. O site está lindo. Sucesso, sempre!

ISAAC SOARES DE SOUZA
ISAAC SOARES DE SOUZA
5 Meses Atrás

Parabéns, Barata, que a produção seja exata…

Marcio Sauer
Marcio Sauer
5 Meses Atrás

Grande Barata, poeta e filósofo que tenho a honra de considerar um grande amigo. Um trabalhador incansável, sempre produzindo com muita qualidade e competência, coisa rara de se ver. Saudades de nossos longos papos regados a muita cerveja e rock n roll.

Genecy
Genecy
5 Meses Atrás

Aqui está, Barata Cichetto em sua nova casa. É mais uma de suas mudanças. Nômade virtual que é, o autor espera, suponho, fincar raízes por aqui, e para cá trazer toda sua bagagem — que não é pouca –, a qual será visitada, revisitada, comentada, e até recomentada, quando for o caso.

Industrioso como poucos podem ser, Barata continuará pensando, tramando e criando. Que venham as novidades.

Faço votos que essa nova casa seja bastante frequentada, visto que ela estará 24 horas aberta. E não precisa bater na porta. Aliás, a casa nem porta tem.

Vejamos,
Ouçamos,
Sintamos,
Leiamos…