Crônica – Ditadura do Tempo

Análise Temporal 1:

Um dos primeiros livros que li na minha vida, tirando os escolares foi “Rumo aos Mundos do Futuro”, uma coletânea de contos de ficção cientifica. Eram contos um tanto ingênuos; e na época eu tinha 12 anos!

Nem eu mesmo nunca entendi porque, mas um deles jamais saiu da minha memória. Contava a história de um ás espacial cheio de glórias e feitos que ao retornar de mais uma de suas inúmeras bem sucedidas missões espaciais, é chamado ao Quartel General e depois de recordados e reconhecidos seus grandes e inestimáveis feitos é….aposentado. O protagonista sai do escritório lamentando, relembrando sua vida inteira cheia de emoções, glórias, feitos e lamentando mas conformado com a sua aposentadoria pois “afinal”, ele pensa, “eu já tenho 21 anos!”. O detalhe é que esse tolo livro de contos foi escrito pelo final dos anos 50, inicio dos 60!

Análise Temporal 2:

Hoje existe um conceito geral de que realmente o tempo passa mais depressa. Já li até algumas explicações cientificas sobre isto.

Análise Temporal 3:

Tenho 42 anos e digo que estou na minha “Versão 4.2., melhorada, cujos “bugs” foram corrigidos, mas o “kernell” é o mesmo.

Análise Temporal 4:

Sou de uma geração que era criança ou adolescente na era da “fechadura” Militar. Uma geração sem acesso aos milionários computadores, uma geração que fazia curso de datilografia, cujo maior sonho profissional era trabalhar em Banco. Que acreditava no Sonho de Lennon, que no intervalo de almoço datilografava poesias em “stencils”, depois gastava o braço, imprimia livrinhos e distribuía acreditando poder mudar o mundo. Uma geração que acreditava no “Rock”, no socialismo, na Liberdade. E sonhava muito…e que acordou com 30 e poucos anos num mundo onde as pessoas são aposentadas antes dessa idade, sem ter mais em que acreditar.

Análise Temporal 5:

O presente é daqueles cujas oportunidades legadas ou conquistadas lhes possibilitou postos de comando, estão bem. Mas os outros cujos sorrisos não foram dirigidos, aqueles cujos poderes não foram delegados, têm que sentar na sarjeta e comer o pão que sobra.

Análise Temporal 6:

Hoje, o comando dos negócios, os grandes milionários tem todos menos de 30 anos. Cujos negócios nasceram de polpudas mesadas paternas, casa e comida de graça. Aparecem em capas de revistas, programas de televisão etc.., com o sorriso de gênio milionário, enquanto os excluídos de mais de 40, que acumularam experiência, progrediram enquanto ser humano, mas que têm ainda muita vontade de aprender e principalmente trabalhar e VIVER, estão vivendo a margem de uma sociedade que ajudaram a criar.-

Análise Temporal 7:

Mas, como dizia Cazuza, “o tempo não pára/tua piscina está cheia de ratos e tuas idéias não correspondem aos fatos”. E mais, estes jovens envelhecerão.

4/15/2000

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários