Crônica – Viva Sua Vida ou Vá Se Foder!

Estou cansado de apanhar, tomar tapas no rosto, ser sempre o errado em um mundo certinho demais. Portanto, não espere de mim nenhum gesto de complacência e respeito quando eu lhe devolver a bofetada. Amizades são feitas apenas de gestos sinceros, e não tenho idade para brincadeiras de mau gosto! Eu não sou branco nem preto, nem mulato sequer eu sou. Sou de todas as cores e a preferência por cores me causa nojo. Não sou o bandido nem o mocinho, sequer polícia ou ladrão. Mas não trate a mim tal o cocô do cavalo do bandido! Não sou criança nem velho! Ancião e terceira idade é a puta que te pariu! Não sou Cristo nem o Diabo, porque não sou o que não existe. E Eu existo! O Bem e o Mal são critérios de uma sociedade espatifada em sua moral, podre por dentro. Que precisa de rótulos e etiquetas para ser identificada. Não estou vivo nem sou morto! Não estou morto nem sou vivo! Viver é o que me resta e o que resta são apenas restos, é o que pensas. Vou fumar quatro maços de cigarros por dia e apagar todos no seu tapete branquinho! E soprar fumaça na sua cara, porque eu cuspo e cuspo grosso! Sou grosso e curto. E curto ser grosso, embora o meu seja fino. Fino e curto, mas sobe e pode foder sua bunda. Não peço nem aceito perdão! Estou de bagos cheios de falsidade e de mentiras. Sou eu e pronto! Quem aceita meu cabelo comprido e minhas idéias diferentes? Quem aceita meu jeito de ser, sem sequer querer ser do jeito que eu sou? Não queira ser eu quando não tem sequer a capacidade de ser você mesmo! Você não tem capacidade de ser a mim. Minha vida é minha e minha música é minha. Eu fumo e tusso fumaça de gasolina, como disse o Alceu. Mas esteja a postos, porque minha ira chegará bem antes que a daquele Deus em que acreditas. Minha vingança chegará mais rápido do que imaginas. Não tenha medo de mim, tenha respeito se não por minha pessoa, pelo meu modo de vida. Ou então vá se foder com sua vida mesquinha e medíocre! Se é que você sabe o que é vida!

8/23/2007

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários