Poesia – Lésbicas

Tinha muito entre a negra e a loira, e não era um amigo
Paula era a loira, Bia era a negra e ambas fodiam comigo
Mas tinha muito entre aquelas duas, e eram boas amigas
E nenhuma disputa entre mim e aquelas belas lombrigas.

Uma era Paula, que tinha penas longas e cílios postiços
Enquanto a outra, deliciosa cria de um par de mestiços
As duas fodiam gostoso e sabiam como me dar a buceta
E mesmo quando não trepavam comigo batiam punheta.

Eram duas, aquelas putas, uma fodendo e outra olhando
E enquanto a loira comigo metia, a negra ficava gozando
Com seu dedo no cu e torcendo feito cobra envenenada
Gemendo feito cadela, com sua buceta toda arreganhada.

Mas tinha muito entre aquelas duas, um par de vagabundas
Pois enquanto eu enfiava meu pau dentro das suas bundas
Uma chupava a língua da outra, e na buceta os seus dedos
Pois mais que desejo, tinham uma da outra falsos segredos.

12/12/2013

Do Livro:
Troco Poesia Por Dinamite
Editor’A Barata Artesanal, 2014

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários