Poesia – Roteiro Para Filme Pornô

Quero enfiar meu dedo na tua buceta, dentro do trem
Com trabalhadores apressados, fingindo que não veem
Sentir escorrer pelos meus dedos o melado desse desejo
E fingindo que te amo, me aproveitar de um tal ensejo.

Quero enfiar meu caralho duro no meio das tuas pernas
Dentro do ônibus lotado de velhas pensando ser eternas
E enquanto mexes tua bunda fingindo que não atenta
O meu pinto penetra no teu cu de uma forma violenta.

Quero te fazer gozar enquanto o cobrador pede trocado
E quando o motorista nos leva ao encontro desmarcado
Nos deixamos levar pelo desejo de foder publicamente
E a plateia finge não enxergar o que tem em sua frente.

Quero te foder no metrô, no táxi ou noutro lugar aberto
Praça florida, canteiro de obras ou num circo descoberto
E depois nos despedirmos feito estranhos sem saudade
Sabendo que fodemos por desejo, mas não por vaidade.

24/12/2013

Do Livro:
Troco Poesia Por Dinamite
Editor’A Barata Artesanal, 2014

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários