Poesia – Se Eu Tivesse Morrido Ontem

1 –
Se eu tivesse morrido ontem antes de dormir, por sorte
Eu não teria o pesadelo hediondo sobre a minha morte
Mas não teria sonhado com putas lindas de riso imoral
Que me esperavam depois de morto para um bacanal.

Se eu tivesse morrido ontem, não acordaria neste dia
Em que feito outros tantos agi com enorme covardia
Caguei, tomei banho, muito café e fodi a minha amante
Depois escrevi poemas querendo parecer o comandante.

Aliás, se eu tivesse morrido ontem, minha esposa e paixão
Estaria derramando suas lágrimas dentro do meu caixão
Com meu esperma seco entre as pernas, grudado aos pelos
E às lágrimas retiraria docemente dos ombros seus cabelos.

Enfim, se eu tivesse morrido ontem, agora estaria fedendo
Ou caso cumprissem meu desejo, entre as chamas ardendo
E a única certeza seria que não teria escrito este tolo texto
Pensando que ao poeta até a própria morte é um pretexto.


2 –
Mas, querido leitor ou leitora, ou de qualquer humanidade
Antevejo seu riso tolo e penso sobre qual seria a sua idade
Embora seja qual for, se também tivesses morrido antes
Não estarias agora a ler algo que eu escrevi em instantes.

E pensem, amados que se torturam com esta poesia insana
Que seu propósito é apenas tortura-los de forma desumana
Roubando-lhes o tempo que poderia ser gasto em coisa útil
E não lendo os delírios de um tolo sob forma de poesia fútil.

Então, caríssimos, antes de morrer peço-lhe humildemente
Que não espere que eu morra ontem para abrir sua mente
Esqueça todas as poesias que lestes neste livro sem glória
E antes de morrer, um dia, escreva a sua própria história.

Esqueça o que eu disse, esqueça o que eu digo ou te direi
Pois a nada nem a ninguém conduzo e jamais conduzirei
E se eu tivesse morrido ontem, não haveria o verso torto
E não estarias lendo a outro poema escrito por um morto.

30/01/2015

Do Livro:
Troco Poesia Por Dinamite
Editor’A Barata Artesanal, 2014

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários