Poesia – Universidade da Vida (Onde o Diploma é a Certidão de Óbito)

Procuro alguém que esteja morto em meu lugar
Alguém que morra enquanto eu fico a gargalhar
Procuro alguém que esteja morto enquanto vivo
E que viva mal nas horas que apenas sobrevivo.

E procuro alguém que seja o que quero ser agora
Que manche a vida de sangue, ela que me adora
Alguém que me mate por vingança ou compaixão
Mas que faça bem feito, crime perfeito de paixão.

Procuro alguém que fique vivo em lugar de mim
E que chegue ao meu começo antes do meu fim
Alguém que queira vida, que dê a vida por viver
Então me entrego em suas mãos para sobreviver.

E procuro alguém que tenha um tanto de piedade
E que ponha termo ao que chamam de eternidade
Estou farto da morte, cansado de morrer todo dia
E preciso agora e de vez acabar com essa covardia.

13/10/2014

Do Livro:
Troco Poesia Por Dinamite
Editor’A Barata Artesanal, 2014

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários