Poesia – Versos Orgânicos – 21 – Infiel

És casada? Quanto custa a tua infidelidade?
Podemos pagar a conta da nossa ilegalidade
Mas não fales comigo do corno e de carências
Não importam teus traumas e tuas demências.

Nada a mim digas a respeito de teu matrimônio
Ou sobre como é tua prisão ou o teu manicômio
Pouco importa se o bastardo não te come direito
E que o ame e ainda arda a paixão em teu peito.

E também não importo se és viúva de um soldado
Ou divorciada de um tenente-coronel aquartelado
Quero apenas, conforme tenho dito nestas odes
Comer-lhe de todo jeito enquanto comigo fodes.

Arranque a aliança, acaso melhor te faças sentir
E não precisas comigo fingir, não precisas mentir
Por que é a verdade que amas e até sabes que sim
E sua vontade de foder está no inicio e não no fim.

Do Livro:
“Versos Orgânicos”, 2012
Editor’A Barata Artesanal

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários