Prefácio – Esdras M. Júnior – Viver Não é Algo Exatamente Tranquilo e Leve

Esdras M. Júnior . 

Viver não é algo exatamente tranquilo e leve. Amar, também não.
A realidade é feita de oposições e contradições. A leveza e o peso andam juntos, assim como o amor e ódio, por exemplo.

Nesse paradoxo que é o mundo das emoções, o mais difícil talvez seja identificar ate aonde vai à leveza e desde onde começa o peso. Mesmo por que, as emoções e suas essências não estão nem num nem noutro, mas em nós mesmos. Nós é que abastecemos os momentos da vida ou com tensão ou com tranquilidade (eis aí mais uma oposição).

Neste ambiente surgem os poetas. Para tentar demonstrar os opostos.
Alguns autores, com mais tranquilidade, bucolismo, suavidade ou leveza, enquanto que outros, com mais tensão, mais peso, mais acidez, mais nervosismo…

Neste sentido, o poeta Barata, dono de um estilo escancarado, explícito e provocador, mostra-se em grande performance. Misturando putas, asnos, dinamite e outras “coisinhas” mais, denuncia a existência de muito mais que apenas um mar de rosas e beijos suaves na alma humana durante momentos de uma vida.

Apresenta, com sua impavidez, a existência das contradições do ser. Ou as contradições necessárias para o ser humano ser. É como se expusesse o que há de pior entre as rosas, que nem por isso deixarão de ser o que são: rosas. Rosas serão sempre rosas, a despeito de terem (ou até por que tem) espinhos.
Destarte, o ser humano também será sempre humano, apesar de ser (ou mesmo por que é) selvagem, animal e grotesco. O homem que fecha os olhos para o feio e só vê o bonito nega a sua própria existência. Sempre temos que ser capazes de perceber os dois lados de nossas ambiguidades.

Assim, o Barata cumpre muito bem o seu papel de poeta, expondo a tensão que é viver emoções. Por que trocar poesia por dinamite? Talvez por que precisamos mesmo, muitas vezes, trocar o suave (poesia, como normalmente é considerada) pelo tenso (no caso, dinamite). Mas sem que nenhum dos opostos se sobressaia por que, para estarmos em equilíbrio, precisamos viver sempre o antagonismo.

Se a suavidade se sobressai, nos tornamos passivos e acomodados, mas, por outro lado, se a tensão se sobressai, nos tornamos ansiosos, agressivos, violentos, estressados…

Ou seja, até no título, o Barata foi genial.

Esdras M. Júnior é professor, psicanlaista e filósofo.

Troco Poesia Por Dinamite
Barata Cichetto
Poesia
Editor’A Barata Artesanal – 2014
224 Páginas

DEPOIMENTO

Livros, artes, poesias, web, músicas, atitudes e filosofias... Ufa, que baita usina de criação!!! Barata Cichetto é a prova viva de que se deve sempre seguir o caminho de vocação!
Marcelo Carvalho Campos
São Paulo - SP
5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários