Resenha Literária – Adoniran Barbosa Uma Biografia

O livro “Adoniran Uma Biografia” de Celso Campos Jr. tem por personagem principal João Rubinato, conhecido como Adoniran Barbosa ((Valinhos, SP, 6 de Agosto de 1910 – São Paulo, 23 de Novembro de 1982). Mas a real história contada no livro é a do rádio, especialmente o paulista. Em mais de 600 páginas o autor conta as façanhas deste que é um símbolo de São Paulo. Músico, poeta, cantor, radio-ator e ator de cinema e TV, humorista, artesão e uma infinidade de outras coisas. Não espere entretanto o leitor detalhes picantes da vida de Adoniran, pois o autor parece ter feito uma opção não deixar esses fatos relegados á segundo plano.

A carreira de Adoniran decolou com o auge do rádio e declinou com o fim dele. Seu gênio criativo criou e interpretou clássicos da Música Brasileira como “Saudosa Maloca”, “Samba do Arnesto” e centenas de outras. Participou de novelas de TV e filmes como “O Cangaceiro”, de Lima Barreto e deu corpo a personagens como Charutinho, Moleque Barbosinha e outros criados por ele e Oswaldo Moles, um dos gênios do Rádio.

A falta de um índice sobre os discos, com detalhes técnicos, músicos etc. é uma falha, mas a obra de Celso, um autor de menos de 30 anos, é importante documento sobre um dos mais importantes e amados artistas brasileiros e principalmente é fundamental a quem se interessa pela evolução da mídia brasileira, particularmente do fenômeno Rádio.

Adoniran Uma Biografia
Autor: Celso de Campos Jr.
Biografia do cantor, compositor, atos, radio-ator e humorista Adoniran Barbosa.
2003 – Editora Globo – 606 Páginas

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários