Resenha Literária – Sob a Luz do Farol, de Viegas Fernandes da Costa

Conheci Viegas Fernandes da Costa em 2002 e do mesmo jeito que muitos dos colunistas de A Barata: não lembro direito. O que lembro bem foi que lhe pedi, após a idéia de ele ter uma coluna periódica, um texto de apresentação da mesma e ele chegar com uma aula sobre o que era crônica. A partir daí foram um monte de aulas de crônica, do que é ser um cronista, do que é poesia em forma de prosa.

Perdemos o contato por um tempo, não por culpa dele, mas minha, e quando o retomamos, Viegas me conta sobre seu livro “Sob A Luz do Farol”. O Correio Brasileiro é ingrato e demorou um pouco, mas enfim chegou. Abri rápido o envelope e encontrei um volume com uma capa que logo chama minha atenção: um “acrílico sobre tela”, com nome homônimo, de Daiana Schvartz.. Percorro as 130 páginas e depois retorno ao começo: “Porque Lua”. Sim, Viegas, Porque Lua?. Duas páginas de pura poesia, em forma de crônica, emocionante quanto uma despedida, clara e cristalina quanto uma paixão, dura quanto uma saudade. O restante do livro deve ser lido não apenas sob a luz do farol, mas também sob a luz da emoção e da arte. É, sob a luz da razão também pode, se você achar necessário.

E “Sob a Luz do Farol” é assim: emoção e arte. E não existe emoção que resista á arte, e não há arte que resista à emoção. Entre as duas, Viegas ficou com ambas. Bígamo, ele ama e entende tanto a uma quanto a outra. E ficamos nós, a lastimar e invejar porque também não fomos abençoados pelos Deuses com as mesmas bênçãos. Mas eles sabem porque, e apenas os que foram agraciados pelas honras da Arte e da emoção conhecem o caminho e a razão dos deuses.

Quanto á mim, resta apenas agradecer aos Deuses da Arte e da Emoção por proporcionarem o prazer de poder, com um pequeno trabalho, ajudar a mostrar a um planeta tão carente, mesmo que não perceba, de arte e emoção, o trabalho de Viegas Fernandes da Costa. Algumas pessoas nascem para brilhar… E outras para acender a luz.

10/10/2011

Viegas Fernandes da Costa
Sob a Luz do Farol
Ano: 2005
Editora: Hemisfério Sul
Páginas: 136

Barata, nascido Luiz Carlos, no dia do Anti-Natal do ano da Graça do nascimento de Bruce Dickinson, Madonna, Michael Jackson, Cazuza e Tim Burton, é poeta, romancista, ensaista e contista, além de produtor de eventos e artista plástico. Cresceu escutando Beatles, Black Sabbath, Rush e Pink Floyd. Participou da geração mimeógrafo nos anos 1970, mas quando chegaram os filhos deixou de ser poeta e foi tentar ser homem, o que no entender de Bukowski é bem mais difícil. Trabalhou como office-boy, bancário e projetista de brinquedos. Apesar de ter escrito milhares de textos nunca ganhou um prêmio literário. Foi apaixonado por Janis Joplin, Grace Slick  e Patti Smith; casou quatro vezes e Atualmente procura pagar as contas trabalhando com criação de sites, edição e diagramação de livros e arte digital.

5 1 Vote
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários