Crônicas

Coronariana Nº 26 ― Pandemia-Pandemônio

Barata Cichetto .  Há pouco menos de um ano, logo depois de completar 61 de existência, e de estar passando por uma ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 25

Barata Cichetto .  Meu colchão é no chão. Meus quatro metros quadrados de território, sem oratório e sem flexão abdominal. Minha gata ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 24

Barata Cichetto .  Em breve, ainda antes do apocalipse zumbi, estarei lançando minha Ontologia Poética (Ontologia, mesmo). E estarei por aí, chutando ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 23

Barata Cichetto .  Eu, que sempre fui deixado do lado de fora, fui trancafiado, enquanto eles estão lá, lançando sua ira e ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 22

Barata Cichetto .  Há alguns anos venho brigando com minha ansiedade, angústia e, principalmente depressão, acompanhada de seus "efeitos colaterais", como desejo ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 21

Barata Cichetto .  Sobre epidemias e manipulações: ano passado, com a epidemia de Dengue, Araraquara, cidade onde moro e tem uma população ...
Leia Mais >

Crônica – Há Um Muro Entre as Calçadas

Barata Cichetto .  Em um futuro não muito distante - aliás, creio que bem próximo, "esquerdistas" (se preferirem "progressistas") andarão em um ...
Leia Mais >

Crônica – Sobre Comunismo e Outras Doenças

Barata Cichetto .  Fui acusado muitas vezes de não gostar de comunistas, o que efetivamente não corresponde à verdade. Não gosto, aliás, ...
Leia Mais >

Crônica – Bozo, Um Outsider na Presidência

Barata Cichetto .  Dias atrás, numa conversa com um amigo, "conservador", e que tem idéias próximas às minhas comentei o seguinte (aspas ...
Leia Mais >

Crônica – Blaterações de Um Ex-Poeta

Barata Cichetto .  Eu queria escrever um poema, algo que pudesse não ser tão carregado de ódio e impotência contra os tiranos ...
Leia Mais >

Crônica – Todos Felizes

Barata Cichetto .  - Garçom, há um poeta no meu copo!- Como assim, senhor? Nossos copos são esterilizados.- Sim, há um poeta ...
Leia Mais >

Crônica – Não Escrevo Mais Poesia: Tenho Vergonha

Barata Cichetto .  O meu primeiro livro, lançado em 1981, portanto há quarenta anos, foi todo feito em mimeógrafo a álcool, único ...
Leia Mais >

Crônica – [Hoje acordei me sentindo estranho, esquisito]

Barata Cichetto .  Hoje acordei me sentindo estranho, esquisito. Há muito tempo não me sentia assim. Era diferente de antes, era diferente ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 20

Barata Cichetto .  Em 2014, o estado de São Paulo especialmente, foi envolvido numa crise sem precedentes de falta d'água. As pessoas ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 19

Barata Cichetto .  Com relação a minha poesia, o sentimento que busco, que a pessoa que a ler se dela se "aproprie", ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 18

Barata Cichetto .  Não estou em quarentena, mas em isolamento. Não, não comecei há um mês, uma semana, e não foi voluntário, ...
Leia Mais >

Coronariana Nº 17

Barata Cichetto .  Numa sociedade cada vez mais isolada do mundo real através das redes sociais, cada vez menos consciente do externo ...
Leia Mais >

Crônica – Cem Anos de Podridão

Barata Cichetto .  Ontem foi Dia do Poeta, cumprimentem atrasado o vate
Porque aquele que chega por ultimo é mulher do padre.
E sabendo ...
Leia Mais >

Crônica – Minha Vizinha Morreu!

Barata Cichetto .  Minha vizinha morreu! Senhora forte, doce, e dona de uma disposição ao trabalho como pouco se vê. Nordestina, o ...
Leia Mais >

Crônica – Como Fazer Molho de Tomate

Barata Cichetto .  Compre na feira um quilo de tomates. Tem que ser na feira, que é livre.Não pode ser uma dúzia ...
Leia Mais >

Crônica – Verdades Históricas e Mentiras Contemporâneas

Barata Cichetto .  Tentando pensar, lembrando dos ciclos históricos, que talvez expliquem muita coisa. Ou não. É um erro pensar que a ...
Leia Mais >

Crônica – Viver é Fatal!

Barata Cichetto .  Eu queria acordar pensando que foi um sonho. Que durou sessenta anos. Queria olhar no espelho e enxergar um ...
Leia Mais >

Crônica – Poesia na Linha

Barata Cichetto .  Eram 04h04min da manhã quando tocou meu celular. Tínhamos dormido há pouco, às cerca de 03h59min. A noitemadrugada tinha ...
Leia Mais >

Crônica – Metralhadora Giratória ou: Foda-se!

Barata Cichetto .  Minha metralhadora giratória está armada e carregada.  Atiro para todos os lados, mas não mato ninguém, porque as balas ...
Leia Mais >

DEPOIMENTO

A Barata segue viva em meio ao Caos, ela subsiste é até antiradioativa! Parabéns, meu amigo Barata Cichetto, por essa bela história de um veículo ativista pela arte genuína!
Edgar Franco
Goiânia - GO
0 0 Votes
Article Rating
Assinar
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver Todos os Comentários