Deponha.me

Depoimento – Genecy Souza

Não se sabe quantos sites — ao menos no Brasil — possuem uma “biografia”. Talvez este livro possa estar em alguma lista a ser divulgada no futuro. Veremos e leremos. Por outro lado, o site abarata.com.br se confunde com a vida do autor, justamente por serem figuras indissociáveis, e, dessa forma, desde 1999, esses personagens muito reais atravessaram mais de duas décadas aos trancos e barrancos, subidas e descidas, idas e vindas, perdas e ganhos, pausas e continuações, mutações, variações, desvios e reencontros de rota, mas, sempre andando para a frente. Narrada com incrível riqueza de detalhes, a saga de Barata Cichetto não apenas conta, mas insere o leitor em narrativas que misturam comicidade com dramas pessoais. Contudo, após cada queda, o autor deixa claro que nunca se rende às adversidades, nestes tempos de ideias e ideais que se chocam e se anulam, que a liberdade de expressão, na internet ou fora dela, é algo valioso demais para ser deixado de lado.
Não se sabe quantos sites — ao menos no Brasil — possuem uma “biografia”. Talvez este livro possa estar em alguma lista a ser divulgada no futuro. Veremos e leremos. Por outro lado, o site abarata.com.br se confunde com a vida do autor, justamente por serem figuras indissociáveis, e, dessa forma, desde 1999, esses personagens muito reais atravessaram mais de duas décadas aos trancos e barrancos, subidas e descidas, idas e vindas, perdas e ganhos, pausas e continuações, mutações, variações, desvios e reencontros de rota, mas, sempre andando para a frente. Narrada com incrível riqueza de detalhes, a saga de Barata Cichetto não apenas conta, mas insere o leitor em narrativas que misturam comicidade com dramas pessoais. Contudo, após cada queda, o autor deixa claro que nunca se rende às adversidades, nestes tempos de ideias e ideais que se chocam e se anulam, que a liberdade de expressão, na internet ou fora dela, é algo valioso demais para ser deixado de lado.

(Sobre o livro “Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade”)

Genecy Souza, o maior incentivador de Barata, Leitor Manaus – AM

Depoimento – William Kiss

Hoje, com dois dias de antecedência, dia 28/07/2021, chegou-me meu presente de aniversário de 52 anos:
O Livro do Mestre Barata Cichetto “Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade” Editora: UICLAP
O Livro, “Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade” contem uma “Experiência Barata” que virou um conto Beatnik porque sou de fato um Punk Mental do Metal, experiência essa que vivi em 2003 quando, numa solitária madrugada, acidentalmente comi uma barata escondida dentro de uma lata de leite condensado.
Barata com sua caneta Bic vermelha escreveu uma comovente dedicatória dirigida a minha pessoa e nossa amizade que têm afinidades deveras pitorescas e peculiares que aprecio demais, o suficiente que faço questão de priorizar em detrimento de algumas eventuais diferenças cambiantes e circunstanciais devido à dialética existencial humana.
“Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade” contém histórias que traduzem a Saga de um Livre Pensador, O Barata, na Capital do Rock n Roll do Brazil que ficou eloquentemente registrada por 23 anos na WEB no Site “A Barata” que tinha quase de tudo do universo artístico mundial filtrado pela ótica singular e vida do Escritor chamado Barata, para os íntimos.
Esse aniversário meu de 52 anos de estradeira Easy Rider & Born To Be Wild não poderia receber algo mais valioso, uma vez que sou um escritor, mais latino americano impossível, sem livros publicados, e dinheiro no banco e que tem por mais expressivo feito: escrever meus ensaios via um celular tabajara de 700 Reais sempre com meu gato de estimação na frente do teclado.
Diríamos que às vezes me dou o direito de epifanias heréticas metafísicas e imagéticas para misturar minha maluquez com minha lucidez com cerveja cigarros e cafés, não necessariamente nesse ordem.
Grato Barata por mais esse espelho de sua alma nobre publicada “Liberdade de Expressão e Expressão de Liberdade”.

William Kiss, baratiano desde 2003 – Santos, SP

Depoimento – Genecy Souza

Já me tornei um leitor e ouvinte contumaz do Barata. No que diz respeito aos palavrões, termos chulos e afins utilizados em suas obras, realmente, eles não me incomodam em nada, daí que não vejo razão para que algumas “almas puras” fiquem chocadas. Isso me soa um tanto hipócrita, uma vez que, por exemplo, palavrões são abundantes nas obras de Jorge Amado, João Ubaldo Ribeiro, Glauco Mattoso, entre outros. E, o que é melhor, eles são muito respeitados e admirados mesmo assim. Quem sabe um dia, quando as obras do Barata se tornarem best sellers, essa percepção venha a mudar.
Aliás, no meu modesto entender, palavrão é “democracia” saída da boca de um José Dirceu; “liberdade” pela de Fidel Castro; “soberania” pela de Dilma; “Deus” pela de Edir Macedo, e por aí vai. 13/02/2015

Genecy Souza, o maior incentivador de Barata, Leitor Manaus – AM

Depoimento – Cristiano Vieira

Instigante e um “louco” que fala verdades que as pessoas insistem em ignorar. – Fanpage Facebook, 31/03/2018

Cristiano Vieira, Leitor

Depoimento – Cassionei Niches Petry

Um dos artistas mais instigantes, inteligentes e imprevisíveis – só para ficar nos adjetivos começados com a letra “i” – que conheci pela internet. Poeta, apresentador de radioweb e produtor cultural, Barata Cichetto faz parte da cultura underground de SP desde os anos 70, inclusive da chamada geração mimeógrafo. A mente do cara fervilha de projetos (…) – 18/02/2011

Cassionei Niches Petry é Escritor e Crítico Literário – Santa Cruz do Sul – RS

Depoimento – Isaac Soares de Souza

Meu amigo e mentor Barata Cichetto, escritor, poeta, compositor que trafega no gueto da arte como um pleito que ele abraçou como meta de liberdade. Vociferar a verdade em palavras infames, Cichetto é um ser que nunca tange nem gado nem gente, porque Barata vive nos destroços, asquerosamente infame, invadindo lares com suas palavras que assustam o poder institucionalizado, seres manietados no cu do mundo, guiados pela máquina saprófaga do sistema, povo anátema, imbecilizado, nunca civilizado. Barata arranha com suas patas a consciência inexata de gente insensata que não pensa. Não sei se Barata tem patas, mas desde que tenha pernas para andar sem comando, podemos chamá-las do que quiser porque todo animal racional que tem locomoção própria, tem patas porque pode dar patadas ao léu e transformar o inferno em céu ou no cu do mundo. Poeta giramundo, vagabundo, imundo, mas genial e profundo em seu persigal próprio de quem nunca caminha rumo ao matadouro humano que é o mundo. – Facebook – 07/10/2012

Isaac Soares de Souza é Escritor. São Carlos, SP

Depoimento – Ricardo dos Anjos

Como jornalista e redator de publicidade aposentado, além de pretenso poeta, apreciei muito a criatividade dos seus sites. Senti até uma certa nostalgia dos meus tempos de enfant terrible da literatura niteroiense e redator/copydesk/repórter em meio aos sons incipientes do rock and roll e da bossa nova. Vejo neles algo de udigrudi, um clima de britânica irreverência, um pub literoetílico envolto em fog. (2009)

Ricardo Augusto dos Anjos, jornalista, é poeta e neto de Augusto dos Anjos

Depoimento – Genecy Souza

Um das coisas mais trabalhosas para mim é poder acompanhar a obra do Barata como um todo. Não que isso seja algo enfadonho ou irrealizável, mas pela quantidade casada com a qualidade. O blog, os livros, as revistas, os discos, e até mesmo a webradio (por ora inativa) dadas suas características REALMENTE independentes, fazem do cara — ainda que ele refute isso — uma figura revolucionária, dentro o atual (e infeliz) contexto sócio-político em que estamos metidos, ainda que não queiramos.

Pelo pouco tempo que venho acompanhando e assimilando a obra do Barata, o que percebo nele é a força da vontade suplantando todas as dificuldades, além da recusa em se deixar submeter por outras vontades, castradoras e padronizadoras de talentos, condenados a uma eterna “estadodependência”, e obrigados à condescedências e omissões, por causa de uma não documentada troca de favores com governos fortemente chegados ao controle total sobre tudo e todos. Pensar livre neste mal parido século 21 já é algo realmente subversivo. O Barata é um subversivo e, por tabela, somos também subversivos por consumir sua arte, que nunca será chapa branca.

No momento em que escrevo este comentário, está rolando Seren Goch 2332, a ópera-rock que alude ao totalitarismo, seja ele casca grossa ou “light”, este, no momento em voga neste país, (des)governado pelo partido da estrela vermelha. Tétrico isto. Contudo, esta é a realidade que apresenta, e é dela que temos que nos defender e combater, com as as armas que dispomos. Pensar livre é uma delas. Jukebox, 24/08/2014

Genecy Souza, o maior incentivador de Barata, Leitor Manaus – AM

Depoimento – Nua Estrela

Conhecer o Luiz Carlos Barata Cichetto mesmo que só virtualmente foi uma daquelas “dádivas” malucas que o destino nos oferece. Integridade e caráter não costumam andar juntos, mas no Barata descobri que isso está entranhado nele, está em suas veias, assim como sua poesia nua e crua que me encantou desde o começo. O sexo em suas poesias se transforma em uma luxúria mundana como deve ser. Cada poesia sua é um orgasmo inesperado e voluptuoso, impossível de conter, impossível de explicar. Lendo seu livro “Versos orgânicos” me senti em estreita sintonia com o erotismo e a mais pura “sacanagem”, numa química que só podia vir de uma mente aberta e sem barreiras. E ainda tenho a honra de contar com ele, quando e como precisar. Posso pedir mais? Posso, quero mais e mais esse escritor vândalo criando e vomitando sua poesia mundana e sua amizade pra sempre, se possível! 15/08/2014

Nua Estrela, Artista Plástica – Porto Alegre – RS

Depoimento – Diego El Khouri

Sua poesia é metralhadora, tempestade, dinamite! Leio seus poemas com atenção e me descubro em cada verso. Você de fato é um grande escritor e é bom ver que ainda existe poetas como você! Poeta de metralhadora na mente. maluco doido.. poesia/porrada/sangue nos olhos! Diego El Khouri, para o Grande Guerreiro Louco, Luiz Carlos Barata Cichetto. Facebook, 09/06/2015

Diego El Khouri, Artista Plástico e Poeta – Aparecida de Goiânia – GO

Depoimento – Joanna Franko

(…) Luiz Carlos Barata Cichetto é um desses cronistas que já nos levou ao hábito de “chegar” procurando seus textos. Alguns adoram, outros detestam, uns comentam outros “ignoram”, mas é esse o objetivo. Falar o que pensa e ser honesto, (…) – Facebook, 01/10/2012

Joanna Franko, Escritora

Depoimento – Ciro Pessoa

A sensação que tive ao terminar de ler “Troco Poesia Por Dinamite” foi a mesma que alguém deve ter após sobreviver a um intenso bombardeio. Ou a atravessar um extenso campo minado e conseguir chegar do outro lado razoavelmente intacto. Porque a poesia bélica de Barata Cichetto é semelhante a um míssil cortando a noite anestesiada e explodindo no centro do comodismo mental e comportamental que tão bem caracteriza este irritante e retrógrado começo de século XXI. –  02/02/2015

Ciro Pessoa
Músico, Poeta, Co-Fundador dos Titãs, São Paulo – SP

Depoimento – Dimitri Brandi de Abreu

Porra, Barata, vai tomar no cu. Seu livro é do caralho. O final é sensacional, puta texto do cacete! Puta que pariu!! (certa vez li que o homem brasileiro, quando está feliz, xinga os amigos). 06/10/2012

Dimitri Brandi de Abreu
Vocalista e guitarrista da Banda Psychotic Eyes, Advogado – São Paulo – SP

Depoimento – Del Wendell

Barata é artista. Ponto. Barata já nos mostrou sua capacidade de fazer a crônica de sua cidade, de questões diretamente práticas ou filosóficas. O pensamento de Barata contra qualquer opressão e o cerceamento de direitos individuais nos é mostrado há anos. Se Barata se declara no direito de ser conservador ele inviabiliza sua sinceridade no que vem nos dizendo? Não. Ele NÃO está a serviço de alienação. Ele gostaria, absorvo do que declara, que mais pessoas estivem alertas e pensantes. O que eu digo é que Barata não é absoluto, amarrado a conceitos. Segue o que pensa, sente, observa sem sacar de uma cartilha pra ver se pode se expressar sem ferir regras de uma postura clássica. “Espera, será que um conservador está autorizado a dizer isto?”, Facebook, 19/01/2017

Del Wendell,
Radialista e Escritor, Goiania – GO

Depoimento – Amyr Cantúsio Jr.

Posso enfatizar que Cichetto é o Dante, Milton, Boca do Inferno e Blake resumido da literatura nacional!! – 15/10/2010

Amyr Cantúsio Jr. – Músico, Teósofo, Compositor, Filósofo – Campinas, SP

Depoimento – Genecy Souza

Está perfeita essa síntese de uma vida, muito rica em detalhes em fatos, cenários, gente e personagens. Não é qualquer um que pode olhar para trás e ver que construiu, mesmo nadando contra a correnteza, uma história de abnegação a arte, respaldada pelas forças libertadoras da poesia, da música via rock and roll e do cinema, com seus (anti)heróis e heróinas, a maioria deles já mortos, e alguns poucos vivos — noves fora os que nos matam de vergonha –, resistindo a certas modernidades obscenas disseminadas pela internet, que fez bem em não ter existido nos primeiros 30 anos de vida de Barata Cichetto, um poeta resistente desde sempre. O que dizer agora? Let´s roll!.

Genecy Souza, Comentário Sobre Memórias e Histórias
01/09/2018

Gostaria de saber o que pensa a respeito do meu trabalho.  Se acha que tem elogios demais, pode criticar também. Digite abaixo seus dados: a Constituição Brasileira diz que é “livre a expressão do pensamento, mas vedado o animato”, então, não fique constrangido (a) a declinar sus informações; mesmo porque há um compromisso através da “Politica de Privacidade“, em não expor e muito menos vender seus dados. Apenas preciso saber com quem estou falando. 

Cidade - XX
(DDD) (Número)
Sinta-se á vontade para falar o que quiser, desde que haja um mínimo de respeito.